Um momento muito triste

E pronto. Aconteceu. Algum dia tinha que ser e pelos vistos foi hoje. Aguentei estoicamente longas semanas mas hoje não lhe consegui fugir e... ouvi a música do Pingo Doce do início ao fim.

Eu demorei até me aperceber do flagelo que andava aí à solta. Sempre que me cruzava com este oitavo passageiro do mundo dos supermercados tinha a sorte de me desviar a tempo. Durante algum tempo soube que havia uma música parva qualquer que andava por aí à solta e que me fazia mudar de estação no rádio mal começava mas, por isso mesmo, demorei até perceber de que se tratava.

Entretanto, era inevitável apanhar um excerto aqui, uns ruídos de fundo ali mas sempre escapei a este H1N1 radio-televisivo. Até que hoje... não tinha o comando ao pé de mim e não sabia dele. Fui lento a reagir e entretanto os segundos sucediam-se implacavelmente e quando me apercebi já era tarde de mais: os preços baixos o ano todo na loja inteira e os produtos fresquinhos entraram-me pelos ouvidos implacavelmente e corroeram, sem apelo nem agravo, a pouca inteligência que me restava num massacre estupidificante como eu não me lembro de ver desde o primeiro Big Brother. Os efeitos a médio e longo prazo são imprevisíveis mas tenho medo do que possa aí vir.

E atenção: eu tenho-me andado a portar bem. Contive-me de mandar umas bocas sobre a música quando ouvi os primeiros excertos. Não foi fácil, atendendo a que essa verborreia rítmica implora em estridentes berros pontuados com palavras como "fresquinho" para que aquela letra* seja barbaramente esmiuçada. Mas contive-me. Contive-me quando o senhor senil começou a aparecer nos anúncios do Pingo Doce a dizer três ou quatro vezes seguidas o nome dele. Contive-me quando apareceu a Popota basofiana pronta a assaltar incautos passageiros no metro e a Leopoldina se tornou discípula da Lara Croft e do Jaime Pacheco e desatou a dar porrada em tudo o que mexe. Mas este atendado foi um abuso e não aguentei mais. Tive que desabafar.

Desabafei e tenho dito. Agora vou procurar retiro no Tibete.

* (o uso da palavra "letra" é meramente ilustrativo, não se pretende com isto dizer de algum modo que aquele conjunto de palavras seja efectivamente uma "letra" de uma música válida)

Comentários

Pedro Pedrosa disse…
Cada vez te amo mais xD lool

Arranja um emprego pa!
Anónimo disse…
Excellent post. I want to thank you for this informative read, I really appreciate sharing this great post. Keep up your work You are also welcome in my blog it very intresting and informative and
collection of great articles and essays thank you

Mensagens populares