Manhãs de sonho I - poesia em rodapé

"A Sónia é uma amor, o Jorge é um espectáculo!"

"Força Fátima, continua assim!"

"Goucha, gosto muito dos teus óculos e mais ainda das tuas camisas."

"Amo-te Vanessa Gonçanlves de Arruda dos Vinhos, és tudo para mim!"

"Procuro camaradas do 29º Batalhão de Infantaria - Guiné 69."

"Queria mandar um beijinhos muito grande para a minha filha Soraia, para o meu mai novo que está no Luxemburgo, para as minhas primas de Évora, para as minhas amigas do curso intensivo de tricot da Lourinhã 2007 e gosto muito do vosso programa."


Tudo isto e muito mais poderiam ser excertos de um qualquer compendio da melhor poesia portuguesa. Mas não são. Por incrível que pareça, isto são apenas excertos de mensagens que podemos encontrar num qualquer programa das manhãs da TV de Portugal.

Para quem não sabe de que é estou a falar, passo a explicar: a RTP1, a SIC e a TVI (as quais representam 75% da oferta televisiva para o desgraçado do mortal que não foi abençoado com TV Cabo) todas as manhãs passam uns programas muito bons onde se exaltam as qualidades de um qualquer convidado/homenageado durante duas horas, onde se fala da vida dos outros, onde se resolve os casos mais complicados da Justiça em Portugal (só o homicida da Maddie é encontrado umas sete a oito vezes por semana) e onde todos os dias alguém partilha as suas tragédias, os seus dramas, os seus horrores!
Esses mesmos programas foram abençoados com umas barras em rodapé cujo conteúdo são mensagens que custam 0,60€ + IVA e que muito provavelmente nunca serão lidas pelo destinatário. Alguns exemplos dessas mensagens podem ser encontrados no início deste texto (caso ainda não tenham reparado).

Apesar de ser muito giro passar uma manhã a ler os rodapés da Praça da Alegria, há algo no meio disto tudo que me deixa, no mínimo, apreensivo. Quem é que no seu perfeito juízo manda estas mensagens? A ideia em si pode parecer muito gira (quase fofinha, até) e até admito que no princípio alguém pode-se estar a ver mal a coisa mas esta história já existe há tempo suficiente para que as pessoas percebam que o sistema não resulta. E não resulta porquê? Como sempre, passo a explicar:

Vamos imaginar que a Dona Adelaide de Santa Comba Dão está muito sossegadinha da vida em casa a ver a Praça da Alegria. Nisto, resolve expressar a sua gratidão com o Jorginho e a boa da Soninha por lhe oferecerem tamanho entretenimento logo pela manhã. Vai daí, pumba, uma mensagem para passar no rodapé da televisão. Se eu estiver a ver a Praça da Alegria provavelmente irei ler a mensagem da Dona Adelaide, tal como o senhor Vicente da Chamusca ou menina Teresinha de Vila Nova de Poiares. Mas o Jorge e a Sónia não! Porquê? Porque eles vão estar num estúdio de televisão a entrevistar convidados e a falar com as pessoas. Não vão estar a olhar fixamente para uma qualquer televisão do estúdio e passar a manhã a ler mensagens. Digamos, que lhes vai passar um bocado ao lado.

Caso seguinte: o Dino, Rei dos Semáforos, resolve dizer à sua Vanessa que a ama muito. Vai daí, qual é a solução mais lógica? Exactamente, mandar uma mensagem para o programa do Goucha aí pelo meio-dia. Só que, mais uma vez, há qualquer coisa que falha aqui.
Pensem comigo: o Dino, Rei dos Semáforos, quer dizer à sua Vanessa que a ama muito e para isso manda uma mensagem para o programa do Goucha. Mas será que ela vai estar a ver o Goucha aquela hora? Se calhar até está a trabalhar... Logo, se calhar convém mandar-lhe uma mensagem a dizer-lhe qualquer coisa do género "Olha mor poe na tvi e xta atnta ax mxgx k vao paxando". E aqui entramos num dilema: se lhe manda isto, lá se vai a surpresa. Ela certamente que depois já imagina o que irá encontrar. Por outro lado, se não disser ela muito provavelmente não irá ver. E já que lhe vai ter que enviar uma mensagem, se calhar até lhe podia dizer directamente. Ou então, mandava-lhe a mensagem a dizer para estar atenta à televisão e depois em vez de enviar a mensagem previsível para o programa do Goucha mandava algo do género "Vanessa, kd xegar a caxa keru uma bruta feijuada na mexa e n admitu atraxox! Beijinhos - Dino, Rei dos Semáforos - Carvalhos." Pelo menos garantia o efeito surpresa.
Há ainda uma última hipótese mas que eu considero francamente assustadora: os dois estão a ver juntos o Programa do Goucha, assim tipo sessão romântica logo pela manhã, e ele assim tem a certeza que ela vai ler as mensagens que passam. Mas a ideia de uma sessão romântica a ver o Goucha, muito sinceramente, assusta-me...

Podia continuar a desenvolver mas acho que já não vale a pena apesar de ficarem no ar alguns pensamentos assustadores (por exemplo, em relação aqueles que procuram reencontrar os antigos camaradas do Ultramar via rodapé, será que temos mesmo batalhões inteiros de ex-militares a assistir religiosamente à Tertúlia Cor-de-Rosa?).
Por esta altura haverá certamente muita gente a sentir-se desamparada, a ver ruir à sua frente o seu principal meio de comunicação e sem saber o que fazer de hoje em diante. A esses eu digo que não desesperem pois eu sou amigo e dou-vos algumas soluções: podem começar por pegas nos 72 cêntimos que gastam na mensagem e ligar directamente ao destinatário. Pelo meu tarifário ainda são capazes de ter perto de sete minutos de conversa! Já viram as coisas que dão para dizer nesse tempo todo? Ou então, compram um cartãozinho bonito (ou até fazem-no vocês mesmos, se não quiserem gastar dinheiro) e enviam! As coisas que eles inventam, já viram?

Comentários

Anónimo disse…
a mim assusta-me o facto de ha 3comments estares sempre a analisar romances de uma forma directa ou indirecta em algum momento do teu texto :P

ass: aquele que gosta de estar anonimamente a contribuir para uma melhoria do estado de saude dos blogers em geral
TILT disse…
Isso foi mera coincidência :p

"Retomaremos a emissão dentro de momentos"
Criss disse…
Tu andas mesmo sem o que fazer Diogo xD

Mensagens populares